26.2.09

Dormindo com um vampiro

Adriana trabalha do meu lado. Ela é a primeira personagem do “Leitor insone”, porque foi a história dela que me fez criar esta seção.

Tudo começou assim: durante dois dias seguidos, Adriana apareceu-me com os olhos vermelhos e inchados, quase uma vampira. E não é que tinha a ver com vampiros a sua expressão? É que essa moça apressada perdera as últimas noites lendo, lendo, lendo, um único livro de 400 páginas.

Refiro-me ao “Crepúsculo” (Twilight), de Stephenie Meyer, que inspirou o filme de mesmo nome, em cartaz nos cinemas, e uma série de TV nos EUA. Como se não bastasse terminar o primeiro livro da coleção (Twilight Series), Adriana ainda comprou os próximos, New Moon, Eclipse e Breaking Dawn. E passou mais algumas noites em companhia deles.

O que tanto atraiu Adriana desse jeito assim, que não largava a leitura? Preciso considerar que minha vizinha de mesa é uma figura um tanto agitada, fala rapidinho, se interessa por tudo que lhe deixem na mão ou que lhe contem (e sempre dá sua opinião sobre o que lhe contam, vale dizer). Era de se esperar que, durante a noite, ela não fosse diferente.

Vamos dizer que seus sonhos noturnos foram seguidamente traídos por uma espécie de sonambulismo literário, ou posso até chamar de meditação. Afinal, o que é a meditação, senão a arte de focar o pensamento? E não era isso que Adriana estava fazendo? Uma pessoa que conversa consigo mesma deve pensar bastante, então imagina quanto pensamento ela tinha que deixar de lado para se concentrar somente nos livros!

%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%

Aliás, que história é essa, tão interessante para Adriana? Conta ela que é uma fábula de amor entre um vampiro e uma humana. “Você pode dizer que é água com açúcar, mas o interessante é a forma como a autora escreve sobre a impossibilidade de um amor”, defende Adriana. Vale dizer que toda a história é contada pela mocinha apaixonada, mas a autora já está providenciando um quinto livro, desta vez sob o ponto-de-vista do vampiro.

Adriana explica que os livros da série reconstroem o mito do vampiro, pois nessa saga ele não morre por qualquer coisa. A luz do sol, por exemplo, não é mortal, apenas reforça a cor reluzente da pele dos vampiros. E é óbvio que eles não querem ser percebidos no meio da multidão, por isso fogem dela como o diabo da cruz.

Bom, acho o Drácula de Bram Stocker charmosíssimo, então tendo a negar todas as outras espécies de vampiros... Mas confesso que Adriana despertou meu interesse pelos livros de Meyer, sem eu nunca ter lido nem a orelha deles.

+ Drácula de Bram, só para relembrar.

9 comentários:

Adriana disse...

Não poderia deixar de registar que você como sempre continua surpreendendo!!! Não só pela sua visão detalhista e, ao mesmo tempo, "scaneadora" que lhe permite enxergar além do essencialmente comum e traduzir em palavras especiais, interessantes, atraentes e simples!!!! Continue trilhando este caminho, pois não há dúvidas que o talento está irraizado na sua personalidade.

Anônimo disse...

JL
Sinto que vou amar esta nova linha... "Leitor Insone"!!
Quanto ao primeiro texto fantástico, eu também fui sequestrada pela S. Meyer. Influencia da minha amiga Adriana que me disse quase como uma ordem que eu tinha que ler os livros da série... Amei todos eles.
O último, ainda sem fim (a escritora parou de escrever, pois os manuscritos caíram na internet) terminei de ler ontem com muito pesar... Uma sensação horrível o “fim sem fim”. Queria poder ter uma conversinha em particular com a queria Stephenie ... ela simplesmente ainda não pode acabar a serie ... tem muitas coisas sobre vampiros que ainda quero saber !!
Rô e para você a mesma coisa... deixe Clara se expressar sempre. Ela tem tantas coisa pra nos dizer...
Beijos
Tati

Márcia disse...

só quero dizer uma coisa... fui fisgada pelo famoso vampiro... Estou levando para as férias os 3 primeiros livros da "saga"... Por recomendação da Adriana!!!! De tanto ela falar do livro!!!

parabéns Rô!!! Adorei o post e o blog de forma geral!! Márcia

Adri USP disse...

Meu Deus, coincidência ou não, hoje mesmo falava sobre essa nova "onda literária" dos vampiros. Parece uma febre ou coisa que o valha, no entanto acho que ainda ficarei lendo Sandman do Neil Gaiman primeiro, que trata dos sonhos, depois, quem sabe, eu entre na casa dos vampiros.
Ro, parabéns pelo blog, está ótimo!

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Oi Robert,

Menina até eu quero ler "Crepúsculo" agora!!!! Interessante esse viés da impossibilidade do amor. Ficarei de olho no seu blog, será linkado lá no 3xtrinta.

Beijão e saudades,

Bela

paulinho disse...

Xiiii, meninos podem postar?
Parabéns pelo blog, Roberta. Estive lá no seu outro blog e fiquei sabendo um pouco da sua vida profissional. Estou muito feliz em ter confirmado o que sempre soube: você é um sucesso.

Quanto aos quadrinhos, acompanho o desenhista desde 2003 e já comprei o livro.

Beijão pra você.

Liuba disse...

Já li tds os livros da série!! Minha irmã tem os dois primeiros e os outros acabamos lendo pela internet, antes de serem lançados por aqui. São bem interessantes, viu, mas a autora segue uma linha realmente diferente do que estamos acostumados a chamar de vampiro!
Outra coisa, achei o drácula de Bram Stocker chatinho... quer dizer, não é bem essa a palavra, mas aquele livro é um clássico do terror? Não mesmo!
Depois que acabei de ler, não consegui imaginar o motivo de tanto "oba-oba" com relação a ele!
Sou fã de histórias de vampiros, sabia?! XD
Bjooos, prima!!

Letícia Lira (lelira) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Letícia Lira (lelira) disse...

Eu passei pela mesmíssima situação da Adriana, só que, felizmente, a loucura aconteceu nas minhas férias. Li os quatro livros em 6 dias... não largava por nada. Já os reli uma vez.... é insano, eu sei, mas a saga é irresistível. O pior de tudo? Chorei que nem um bebê qdo terminou.