10.9.09

Review História do Brasil

Este texto é de Maria Cristina, senhora minha mãe. Revela muito bem sua capacidade de reportar histórias bizarras, que ela normalmente ouve no rádio da cozinha.

"Esta História do Brasil, contada e recontada, é de uma chatice ímpar! Não sei quem criou tantas datas, tantos heróis, tantos acontecimentos bizarros. A começar pela historia do nosso País, desde seu descobrimento ele já se encontrava descoberto pelos índios. A coisa na verdade começou assim:


O Fidalgo Português Pedro Álvares Cabral vinha perdidão por estes mares afora, com a sua esquadra repleta de sem-tetos, sem-terras... E Frei Henrique jogando água benta na galera, a fim de acalmar a muvuca.

Pepeu estava a rigor, com sua fantasia que desfilaria na primeira batucada que tocassem. Inspirou-se nas vestes carnavalescas do companheiro Bornay, que naquela época, em terra firme, já depenava os sobrecus das araras, emas e pavões brasileiros.

O Navio do Fidalgo Pepeu balançava muito, ondas fortes batiam em toda direção, quando um olhudo trepou no alto de um mastro e, avistando um monte, berrou em alto e bom tom:

- Terra à vista, não serão aceitos cartões de crédito, nem pré-datados!

Pela grande quantidade de coelhos existente no local, deram-no o nome de Monte Pascoal.

No Rolex do Pepeu marcava 22 de abril de 1500. Foi recebido por índios pelados, que se diziam donos da terra, e por índias também peladas, que admiravam suas vestes. Para conquistá-las, distribuiu MP3 Players onde se ouvia: Índia seus cabelos nos ombros caindo... E, logo em seguida, o Créu, na velocidade cinco...

Assim os índios foram tapeados pelos importados. Frei Henrique, para amenizar a coisa, resolveu rezar uma missa. Sua intenção era arrecadar dízimo entre os índios, mas foi interrompido com uma cutucada de flecha no traseiro, e recolheu suas orações.

Levantaram uma questão quanto ao nome da descoberta: Ilha de Vera Cruz? Não, não se tratava de uma ilha. Terra de Santa Cruz? Não, a terra não era tão santa... Brazil, zil, zil, por causa de uns paus vermelhos arrancados pelo desmatamento ilegal.

Era uma terra maravilhosa, pássaros, coelhos, árvores, índios, todos reinvindicavam a posse da terra. Cabral se achava: mandou descer do navio vinhos, comidas fartas e um cantor português da cabeça de carneiro, que cantava:

- É uma casa portuguesa, com certeza...

Todos caíram na farra! Índios tocavam tambores, Cabral soltava a franga. Frei Henrique tirou a batina e dançava pelado no meio de todos, os sem-tetos e os sem-terras iam demarcando a área, fazendo a primeira reforma agrária brasileira.

E nosso País começou com invasão de terras, contrabando, desmatamentos, altos pileques... Hoje, meio século depois, a historia é a mesma."

Um comentário:

Manuela disse...

Este texto é excelente, Parabéns Dona Cristina, Adorei, beijos e continue seus escritos....Manuela Oliveira