23.2.10

No dia em que Clara se fez de louca

Um sujeito arregala os olhos e aumenta a voz, em defesa de sua ideia inviável. A mulher protesta, chora, ergue as mãos trêmulas. Os demais, enrustidos, olham pro chão. Alguns se escondem debaixo da mesa.

Naquele dia, Clara observava com mais atenção essa cena. Era recorrente. Desenhou uma moldura imaginária em torno do drama e singelamente assistiu. Até decidir que perderia o juízo também, pra ficar na moda.

Aconteceu num impulso - lady Clara arrotou bem alto. Todos silenciaram e trocaram olhares, enquanto ela sustentava um olhar vidrado. Levantou-se, elegante e lentamente, e saiu. Como se nada tivesse acontecido.