31.7.10

Volta às aulas – Clara ganha mais um superpoder

Clara estava grilada. Caminhava para a escola com uma fumacinha em cima da cabeça, pensando como seria chato reencontrar o povo insolente da sua turma.

Resolveu, então, fazer um caminho mais longo. Iria pelo parque, para mudar seu humor. Árvores e terra molhada ajudariam a refrescar o cérebro.

Era um dia de sol com ar fresco. Sentada num banco, Clara distraiu-se com o barulho das folhas ao vento. Embalou-se na dança das sombras e da luz refletida nos troncos das árvores. Até cair num sono leve, e perder a noção. Não sabia se estava pensando ou sonhando.

O movimento das coisas começou a ficar mais lento, turvo, como se ela estivesse debaixo d’água. Não sentia mais o vento frio, e sim uma quenturinha de banheira de bebê.

Quando Clara abriu os olhos, tudo permaneceu turvo e lento e multicor. Mais uma alucinação? Bom, pelo menos, desta vez, não cambaleou ao se levantar.

Olhou ao seu redor e... Ops! Deu-se conta de que fora engolida por uma bolha de sabão! Quem estava brincando com ela? Girou em torno de si, mas não encontrou nenhuma criança sapeca. Só o guardinha, que continuava cochilando em sua cabine.

Ao dar um primeiro passo, a bolha movimentou-se com Clara, e foi girando. Ela entrou no clima da brincadeira. Saiu do parque dando cambalhotas macias: “blum-blum-blum”.

A danada da bolha não estourou até sua chegada à escola. E, engraçado, ninguém deu bola à sua peripécia. Era como se ela estivesse andando normalmente.

Foi assim que Clara entrou na sala de aula. De bolha e tudo, segura de que estava preparada para novas provas e provações. Ao lado de pessoas legais, outras nem tanto.

3 comentários:

vero disse...

muito bom o texto. eu quero uma bolha dessa pra mim!

Poita disse...

seria muito bom se tivesse uma bolha dessa para nos dar segurança em determinadas situações.

Poita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.