21.12.10

Uma história pra dormir, um segredo pra acordar


Neste post, que talvez seja o último do ano, sou eu mesma a personagem da coluna “Leitor Insone”. Porém, sou o contraponto, aquela que dorme, sem vergonha na cara, ao alcançar o terceiro parágrafo do livro de cabeceira. Basta a rua silenciar, que qualquer fonte de leitura, seja entediante ou visguenta, torna-se uma história de ninar em potencial .

Meu sono resiste menos ainda a um bom contador de histórias. Se és um bom contador, a história pode ser a tua, cotidiana, ou a de um livro, lido em voz alta... De qualquer jeito, me farás dormir. A menos que me contes um segredo = )

Quando eu dormir, não te sintas desprestigiado. Ao contrário, esse é um sinal de sucesso. Afinal, ao invés de que pensar tanta coisa, e nada entender, prefiro ouvir tua história e dormir e sonhar. Tua voz suave deslizará pelo ar, e essa é a sensação mais aconchegante do mundo. É como voltar ao útero materno.

Se eu mesma leio pra mim, às vezes persisto, chego a virar uma página, mas aí dá vontade de fazer uma grande traquinagem. Vou direto ao último parágrafo do livro. E leio mesmo. É que o fim não importa muito, eu acho.

Queres experimentar? Vê só o final de “O Mundo de Sofia”, que estou lendo vagarosamente pela terceira vez:

“- Um de nós vai ter de nadar até o barco.
- Vamos nós dois, papai.”

Aposto que não estraguei tua aventura, caso queiras ver “Sofia” do início ao fim. Porque cada parágrafo é uma canção, cada um com a sua revelação. E não é esse o prazer da leitura?

19.12.10

Alquimia


Química era a matéria mais difícil para Clara. A tabela periódica não entrava em sua cabeça. Bastava lembrar o fim de semana que passara tentando balancear 300 equações. O domingo já estava escuro, e nem ela, nem sua amiga Bela [fera em ciências exatas], conseguiam sair da 183ª fórmula. A essa altura, entreolharam-se e tiveram uma crise de riso, tamanho o desgaste mental.

Mas tudo mudaria com a chegada do novo professor de Química. Clara ficou encantada quando ele revelou que as formas da Natureza se repetem. Mas isso não seria assunto para o professor de Biologia? Ou Matemática? Ou seria de Filosofia?

Bom, não importa, o fato é que os pólens de um girassol formam uma espécie de espiral, com círculos de 3, 5, 8, 13, 21 pontinhos. Basta somar 3+5=8, 5+8=13, e assim por diante, para obter toda a sequência.